Categorias
Reflexão

Liberalismo por Ortega y Gasset

Liberalismo é a suprema forma de generosidade; é o direito que a maioria concede à minoria e portanto é o grito mais nobre que já ecoou neste planeta.

É o anúncio da determinação de compartilhar a existência com o inimigo; mais do que isso, com um inimigo que é fraco. É incrível como a espécie humana foi capaz de uma atitude tão nobre. tão paradoxal, tão refinada e tão antinatural.

Não será portanto de estranhar que essa mesma humanidade queira logo se livrar desse compromisso.

É uma disciplina por demais difícil e complexa para firmar-se definitivamente na Terra.

ORTEGA Y GASSET em A revolta das massas

Categorias
Reflexão

O Estado vai Salvar o Mercado?

Pra ser honesto, do ponto de vista intelectual, o que mais me deixou emputecido com essa pandemia, foi ver isto:

A quantidade de gente burra que tem nesse mundo nunca deixa de me espantar.

Ora, o Estado confina as pessoas em casa “por uma boa causa”, fecha rodovias, isola municípios e fecha comércio num autoritarismo descomunal, sufocando o Mercado, depois os JÊNIOS culpam o Mercado por não funcionar (sic).

Os mesmos que escolhem Humanas porque não gostavam de matemática.

O mercado precisa de LIBERDADE pra funcionar, por isso se chama livre-mercado, e liberdade costuma ser exatamente o oposto do que o Estado oferece quando atua…

…sempre financiado ora por quem? Pelo setor privado.

Quando a burrice encontra a má-fé, eu realmente perco a paciência.

Empresários Gananciosos

Já falei aqui do analfabetismo econômico do brasileiro, especialmente dos socialistas.

Ante a iminência do governador de Santa Catarina em reduzir gradualmente a quarentena a partir do dia primeiro de abril, uns retardados comentam: “Ain os empresários gananciosos venceram”

Mano, MANO DO CÉU. A pessoa simplesmente não consegue enxergar que por trás de cada produtinho que ela usa em seu infeliz dia-a-dia, tem um “empresário ganancioso” por trás que, junto aos seus funcionários, permitiu que esse produto existisse.

Cada quilo de arroz, de feijão, de carne, cada peça do seu carro, cada eletrônico, cada roupa, cada tijolo de sua casa, tem um MALDITO EMPRESÁRIO GANANCIOSO que, montando uma empresa, emprega pessoas, gera riqueza e impostos para que aquele produto torne a vida desse infeliz mais confortável.

Numa crise desgraçada dessa, o empresário fica apavorado com as contas chegando (que numa empresa são grandes) com a possibilidade de ter que demitir, e são taxados de gananciosos?

Pelo amor do meu Santo Deus.

Categorias
Reflexão

Liberdade é Sagrada

Nunca.

NUNCA devemos apoiar a redução das liberdades individuais.

Se elas forem reduzidas, não devemos dedurar quem continua usufruindo da sua liberdade, sem que tenha cometido verdadeiro crime.

Se forem deduradas, não devemos apoiar qualquer punição.

Se forem punidas, não devemos aplaudir.

É ingênuo, é inconsequente.

Se você não defende a liberdade alheia, ainda vai perder a própria liberdade.

Não seja esse vizinho
Não seja esse vizinho

Mas aqui no Brasil, tudo isso foi pelo caminho oposto.

Brasileiro adora o governo mandando ele ficar em casa (que alívio não precisar trabalhar).

Brasileiro é tão inseguro de si que se sente confortável em ter uma entidade pretensamente superior que se angaria a sabedoria de dizer a ele o que deve ou não fazer.

E uma vez confinado em casa, ele não suporta a ideia de que outras pessoas desobedeçam estas orientações confusas da OMS.

Ele aceita ser patrulhado e adora uma oportunidade de patrulhar.

O Brasil não corre o menor risco de dar certo.

Categorias
Reflexão

Facebras – A rede social autenticamente brasileira

Dizem que o capitalismo é um problema. Mesmo apesar dos países mais desenvolvidos serem justamente os mais capitalistas.

No Brasil, especificamente, esta mensagem está tão naturalizada depois de 40 anos de domínio da visão marxista na imprensa, escolas, universidades e classe artística, que as pessoas só repetem a mesma ladainha e não são capazes de enxergar o óbvio:

O problema do Brasil é FALTA de capitalismo. Falta de ciência, tecnologia e INDÚSTRIA.

Aqui as pessoas não têm dinheiro.

Aqui, o dinheiro vem do governo (depois de expropriar de 30 a 40% do dinheiro do povo na forma de impostos – e nunca é o suficiente, pois o governo continua se endividando mais e mais, mas aí é assunto para outro post).

Para você entender como no Brasil temos um capitalismo capenga cujo grande motor é o governo com seus gastos sempre maiores (que geram dívidas, que geram mais impressão de dinheiro, que gera inflação, que diminui o poder aquisitivo do povo, o que torna as pessoas mais pobres), basta você fazer um breve exercício imaginativo.

Pega qualquer grande empresa mundial contemporânea, tipo google, facebook, microsoft. Imagina que ela fosse brasileira (uma empresa assim jamais surgirá por aqui, mas, bem, estamos imaginando)

Esta empresa, seria estatal, criada pelo governo na base da canetada. Provavelmente se chamaria de qualquer coisa terminada com BRAS. Googlebras, Facebras, Microbras. Talvez se chamasse Embragoogle, Embrabook ou Embrasoft.

O logo tipo, claro, usando as incríveis e originais cores verde e amarelo.

Tipo isto:

Muito provavelmente seria uma empresa burocratizada (para criar um perfil, teria que apresentar RG, CPF, Certidão de Nascimento ou de Casamente, Certidões negativas de débito e pagar algumas taxas).

Teria três vezes mais funcionários do que o necessário, todos registrados na CLT, com seus dereitos assegurados (sic), e produzindo um terço do que seriam capazes de produzir. A cada feriadão, os serviços dessa empresa seriam suspensos. Quer acompanhar a vida alheia no Facebras? Só na segunda-feira, amigo, pensa o quê?

Com alguma sorte e a união de uma boa equipe, alguma dessas empresas até alcançariam destaque, tipo a Embraer ou o programa de Etanol da Petrobrás. Até que eventualmente algum governante começasse a usar de sua autoridade para lotear essa empresa com cargos políticos, e usar os lucros dela para financiar CERTOS PARTIDOS.

Essa empresa começará a dar prejuízo, se endividar, seus diretores seriam presos e o governo aumentaria impostos para cobrir o rombo da Facebras, afinal ela precisa continuar, pois neste “Brasil fictício” que estamos imaginando, todos teriam direito ao acesso a redes sociais públicas, gratuitas e de qualidade.

Até mesmo porque a Facebras deteria o monopólio sobre o serviço de rede social no Brasil, tipo um correio da vida, que mesmo detendo o monopólio sobre o envio de correspondências por aqui, é capaz de apresentar prejuízo.

Com este triste final, encerro nosso exercício imaginativo.

Ele serve para demonstrar que o fato de grandes empresas de tecnologia jamais surgirem por aqui, desde a época das grandes invenções, não é por acaso. Não temos ambiente propício para pesquisa, desenvolvimento e investimento em novos projetos. O brasileiro médio anda muito preocupado com sua própria sobrevivência, vai inventar novos produtos como?

E se inventa, como fez Santos Dumont há um século, ao inventar um avião com propulsão própria, não consegue tocar a coisa adiante. Até hoje o brasileiro mantém essa birrinha infantil sobre quem inventou o avião primeiro, Santos Dumont ou os irmãos Wright. Orgulho bobo e ressentido. Onde se situam as principais fábricas de aviões e companhias aéreas hoje? Por aqui ou nos EUA e Europa? Pois então…

Fluxo aéreo no mundo
Fluxo aéreo no mundo

E isso acontece até hoje, a criatividade brasileira é reconhecida, mas a possibilidade de empreender sobre esta criatividade é pífia. Quem sabe logo o governo decida criar (na base da canetada, sempre) uma Comissão Brasileira de Fomento e Desenvolvimento ao Empreendedorismo – a COBRAFODEEM e finalmente poderemos respirar aliviados.

Agora vai! Que lindo, projetos e oportunidades “para todos”.

Vai não, trouxa. Aprende: Não é governo, nem canetada que resolve os problemas da sociedade. É a própria sociedade que resolve seus problemas, desde que o governo não fique no meio do caminho.

Categorias
Reflexão

Deficiência Cognitiva

Manifestantes de Direita protestando e pedindo o “Ato Institucional nº 5” desconhecendo ou não levando em conta que durante um Ato Institucional não poderiam protestar.

A Esquerda em peso crente que Bolsonaro é autoritário, ignorando prefeitos e governadores atentando contra direitos básicos como o de ir e vir e de trabalhar; bloqueando rodovias, isolando cidades, fechando comércio; E ignorando também Ministérios Públicos que proíbem cidadãos de se exercitarem na praia ou de saírem para protestar pelo fim da quarentena.

O problema do nosso povo é um só: deficiência cognitiva; incapacidade de identificar na realidade as informações semânticas das expressões; incapacidade de estabelecer noções de causa e efeito.

Além de uma certa incapacidade – que me parece mais preguiça – de questionar, pesquisar, conferir e averiguar tudo que recebe nestas épocas de mídias sociais. Se corrobora as crenças prévias, já sai endossando – compartilhar é endossar.

Se eu acredito, é verdade.