Categorias
Política

“Você defende o Bolsonaro cegamente”

Texto da Deputada Estadual Ana Caroline Campagnolo:

Quem diz isso se acha iluminado, acha que vê o que os outros não estão vendo, acha que é limpinho e moralmente superior por “pensar com a própria cabeça”.

Eu não defendo o Bolsonaro cegamente. Eu defendo convictamente mesmo, enfaticamente mesmo, o que significa que, avaliando todo o contexto e também os seus detratores, defendê-lo e apoia-lo continua sendo a atitude mais inteligente. Não se pode fiar a política nas ideias, é impossível eleger ideias, é impossível votar em ideias. É preciso eleger pessoas, apoiar e depreciar pessoas. São as pessoas que entram e caem do poder. Quantas ideias bonitas você ouviu na última eleição? E quantos políticos mudaram de ideia depois de eleitos?

Pois é exatamente por isso que minha defesa do Presidente Bolsonaro é convicta e não cega. Eu VEJO as outras pessoas que o rodeiam como um leão que pretende abocanhá-lo. E essas pessoas sabem fazer política. Por que sabem? Porque da boca para fora falam de ideias, mas nas madrugadas e saletas fechadas conspiram contra PESSOAS.
Eu me lembro quando fui para rua com cartazes claros em letras gigantes: “Fora Dilma” e “Lula Ladrão”. E horas depois assistia no noticiário que uma gigantesca manifestação se havia feito CONTRA A CORRUPÇÃO. A mídia usa esse joguete. O lula usou esse joguete. Quando foi preso, ele disse: “Eu sou uma ideia”. O Lula é uma ideia, uma ideia muito porca na minha opinião e muito sexy na opinião dele mesmo.

Bolsonaro não é uma ideia. É uma pessoa. É óbvio que pessoas erram. Como os conservadores aplicam tão mal o conceito de “ceticismo”? Somos ou não somos céticos, afinal? Somos. Isso significa que sabemos que a PESSOA que elegemos vai errar. E antes que algum analfabeto funcional se alvoroce, note que estamos falando de ERRO e não de CRIME. Bolsonaro não está cometendo crimes, mas os que deveriam estar a favor dele se ouriçam ainda assim.

Os conservadores não estavam com Margaret Thatcher porque ela era perfeita, estavam com ela porque seus opositores eram trabalhistas e socialistas enrustidos. Como se dizem céticos e superiores justamente aqueles que agem esperando da política o paraíso da perfeição ou nada!? Ou o Bolsonaro aprender a usar uma máscara ou nada!? Demitiu o Mandetta, oh, que odiável! Deveria ser mais polido e culto, oh, fim do mundo!

Qual foi a ideia esfaqueada nas últimas eleições? Nenhuma. A esquerda fala de ideias, mas, na batalha, derruba PESSOAS. Derruba Celso Daniel, levanta Marielle. E os direitistas limpinhos caem como patinhos. Entregam suas poucas boas pessoas numa bandeja e saem garganteando ideias. Como esqueceram em tão pouco tempo que no segundo turno de cada eleição disputam DUAS PESSOAS? Como podem ter esquecido que a direita finalmente conseguiu dar um suspiro de vida quando uma PESSOA derrubou o PT com apenas 8 segundos de televisão? As ideias têm consequências apenas porque PESSOAS podem agir em nome delas. E a cega sou eu?

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *